Conforme o esperado, a Xiaomi anunciou seu novo smartphone, o Mi Max 2, neste 25 de maio. Seu grande diferencial é a bateria, mas também promete ser um sucesso graças ao preço bastante atraente e design elegante, incluindo um corpo inteiramente de metal.

Conforme sugere o nome, o Xiaomi Mi Max 2 é um phablet com uma enorme tela de 6,44 polegadas. Para aguentar tudo isso de energia consumida, a sua bateria é de 5.300mAh. De acordo com a Xiaomi, ela é o suficiente para manter o smartphone fora da tomada por dois dias.

A conta parece bater, mesmo que dois dias pareça pouco para uma bateria de 5.300mAh, pois além da tela consumir muita energia, a Xiaomi não tem o software mais otimizado do mundo para economia de bateria. O chipset é um Snapdragon 625, sendo um de seus diferenciais o consumo consciente de energia. A empresa afirma ainda que a bateria pode ser recarregada em 68% em apenas uma hora, o que é impressionante considerando sua capacidade.

No mais, o Xiaomi Mi Max 2 conta com 4GB de RAM e até 128GB de armazenamento interno, dependendo da variante escolhida. Sua câmera traseira é de 12MP e a frontal de 5MP. Na parte traseira também temos um discreto sensor de impressão digital. O conector é USB Type-C.

Os interessados no Xiaomi Mi Max 2 podem comprar através de sites como o GearBest para importação. Suas vendas começam no dia 1º de junho e custará R$ 812 na variante de 64GB e R$ 952 na versão de 128GB, em conversão direta sem considerar impostos.

A Xiaomi já abandonou o Brasil, mas recentemente anunciou estar entrando em diversos mercados da america latina, incluindo o Paraguai. Ou seja, talvez seja possível comprar esse e outros produtos da Xiaomi em breve com mais facilidade.

X