June 23, 2018

Preconceito tecnológico, um mal que precisa ser tratado.

Antes de começarmos este artigo, precisamos salientar de que o que será expressado aqui são opiniões de um autor onde cada pessoa é livre de pensar como quer. Se sua opinião é diferente da do autor, fique livre para demostrar suas opiniões no final deste artigo.

Vamos começar pelo que se acontece em todos os meios de tecnologia e fora dele. O usuário sempre irá ter orgulho de sua aquisição e isso não é nada ruim, pois todos devemos ter orgulho de nossos aparelhos, bens e etc que ralamos duro para conseguir. O problema vem quando você, por ter ralado e conseguido tal bem, força outros à adquirir ele também, e se a pessoa quiser algo diferente, o diferente é um lixo.

Como disse no início, temos isso em todos os segmentos de tecnologia e fora dela. Normalmente, simplesmente rotulamos tal atitude como “fanboy” de determinada marca, empresa e/ou produto. Mas ser fanboy também não é um problema, você gostar de uma marca, produto e/ou empresa apenas mostra que ela conseguiu satisfazer suas necessidades naquilo que você procura.

Ok, vamos falar a real, o mundo está avançando rapidamente em todos os ramos de tecnologia e algumas empresas estão avançando até mais que as outras em algumas áreas, mas todas estão com intuito de avançar. A tecnologia morre quando ela pára no tempo e deixa de inovar. Isso causa problemas à qualquer lado, onde o usuário fica prejudicado e normalmente o mercado fica fechado. Mas de nada adianta empresas tentarem pôr para frente novas tecnologias e novas visões se o usuário não tem interesse em avançar com ela.

Nos seguimentos de smartphones que é nosso interesse nesta página, observamos usuários que ao escolher um aparelho em uma determinada época, se prende ao que comprou e nega qualquer avanço que venha à frente dele, rotulando com a palavra “desnecessária”. Oras, o que era bom e bonito para aquela época não continuará bom e bonito para sempre, e por mais que uma tecnologia pareça não avançar de forma visível (ao olho nu) não significa que não foram feitos avanços. O que acontece é que às vezes os avanços são preliminares e precisará ser aprimorado com o tempo.

Todo pedaço de avanço começa por um pequeno projeto que nem sempre é sucesso. Vamos citar alguns exemplos. Abaixo temos o primeiro aparelho com tela Full HD do mercado de smartphone e ele não foi bem recebido pelo público por causa de seus problemas.

HTC J butterfly

O J Butterfly da HTC foi o primeiro smartphone no mercado a vir com um display Full HD, 2GB de RAM e um S4 Pro como seu processador. O aparelho por mais que seja bonito, antes de ser lançado recebeu críticas sobre seu display. O que muitos usuários falaram sobre a LG quando ela informou que estaria produzindo as primeiras telas para smartphone com resolução full HD repetiram quando o HTC J Butterfly foi lançado. Teve um porém, o aparelho foi exclusivo para o Japão (por isso deve ter notado na imagem que está tudo em japonês), e fora do Japão foi lançado uma versão menos potente com especificações não tão potentes. Isso foi ruim para os não japoneses? Para muitos foi e para muitos não. O aparelho como dito recebeu críticas de que o display Full HD era completamente desnecessário, assim como a bateria não aguentaria o display, torrando o tempo de uso. Lembrando que a bateria deste dispositivo era de 2200mAh em um mundo onde aparelhos com tela HD como as do Note 2 tinha 3300mAh.

Os críticos de certa forma estavam certos, o display Full HD realmente torrava demais a bateria prejudicando o uso do mesmo. Mas devemos lembrar que foi uma tecnologia nova e aprimoramentos foram necessários. Hoje Full HD é um padrão em smartphones de mid-end até os high-end, sendo o mínimo aceitável, e os “Premium” segurando pelo display FHD. No lado de bateria, aparelhos hoje que são mais poderosos que antigamente precisam de menos energia para fazer as mesmas funções de antigamente devido à seus aprimoramentos.

Mas o preconceito tecnológico não existe apenas em novas tecnologias. Novas formas que empresas decidem abordar os sistemas também é motivo de preconceito pelos usuários, que muitas vezes, conhecem apenas o sistema que precisou ser aprimorado e por isso nega qualquer novidade que ele venha a trazer no presente. Sim, estamos falando das “malditas” skins.

Cada empresa terá uma forma diferente de abordar seu produto para seus usuários. Algumas empresas abordam os usuários com simplicidade e outros abordam os usuários com uma bagagem enorme de recursos. O que se torna útil ou não, vai depender de cada um, mas não podemos negar a necessidade de sua existência.

Existem várias e várias interfaces que mudam de plataforma ou até mesmo na mesma plataforma temos interfaces diferentes, como no caso do Android, mas que funciona basicamente como qualquer outro aparelho da plataforma. O bom que cada plataforma tem seus fanboys e cada interface tem os seus fanboys, e isso não é problema. O problema são os haters de cada uma delas que queimam a outra sem sequer ser usuário ou conhecer dela na atual versão. São esses que têm o preconceito sobre a interface devido à uma experiência no passado. Só para citar alguns, existem usuários que reclamam do Android mais próximo ao Android puro ou o Android como a Google quer que a interface seja, dizendo que o sistema é capado e sem recursos. São desses “haters” que temos usuários que por acharem necessidade em recursos, acha que todo Android precisa ter uma interface e que o Android Semi-puro é para quem está acostumado com um aparelho que tem nada.

Cada qual tem sua opinião e por isso temos sistemas feitos para cada tipo de usuário. O Android Semi-puro ser uma opção à quem gosta do sistema fluido sem coisas desnecessárias é lucro para o usuário e precisa existir para que exista a opção. Aqueles que incentivam o monopólio de apenas um sistema será prejudicado futuramente pela falta de inovação.

Então vamos tentar experimentar o que nos é oferecido como uma novidade e criticar nos pontos que faça a empresa mudar para melhor. Criticar apenas por ser de X empresa, plataforma ou marca apenas fará com que você pare no tempo e não aproveite o que cada empresa tem de bom a oferecer.

Anterior «
Próximo »

5 Comentários

  1. Eu não sou fanboy de nenhuma marca, sei reconhecer quando alguém faz melhor. Tanto é que tenho um LG G2 e achei ridículo quando fizeram a comparação dele com o Galaxy S7 e tiraram a conclusão que o top de linha de 2013 pode oferecer uma experiência tão boa quanto um top de linha de 2016. Simplesmente não pode. Atualmente o Galaxy S7 Edge, junto com o Oneplus 3, é meu maior sonho de consumo.
    Eu já fui um grande hater da TouchWiz, mas por bons motivos: eu tive um Galaxy S3 e ela era extremamente pesada e bugada. Muitos aplicativos nativos do S3 paravam de funcionar do nada. E depois veio o Galaxy S4, que eu sempre critiquei, pois a TouchWiz do S4 apresentava tantos recursos que tornavam o celular lento e poucos deles eram realmente úteis. Tanto é que todos os meus amigos que possuíam um S4 deixavam esses recursos desligados, pois muitas vezes eles mais atrapalhavam do que ajudavam. Depois do Galaxy S6 a Samsung fez mudanças muito boas na TouchWiz e hoje, junto com a MIUI, considero a melhor interface Android.

  2. Ai sim! Mudança de opinião por base de experiência.

  3. Tem a questão de peças se quebrar por exemplo um lcd ou o touch pra encontrar essas peças da trabalho.

  4. Muito bom! Inclusive me enquadrei na parte, ” ao escolher um aparelho em uma determinada época, se prende ao que comprou e nega qualquer avanço que venha à frente dele, rotulando com a palavra “desnecessária”. ” devido possuir um xperia Z1 haha.

  5. Admiro teu trabalho, Dudu, bem como de outras pessoas que comentam sobre tecnologia na web. Eu e meu filho somos críticos, apoiando a boa usabilidade. A máquina deve ser nossa escrava e não nós sermos escravos dela. Portanto, o que as empresas puderem fazer no sentido de facilitar o usuário de tecnologia será muito bem vinda e vejo que defendes essa bandeira. Vejo isso quando falas da falta do rádio, ou da entrada P2, de uma boa câmera, ou de uma bateria que segure bem nossa necessidade diária de uso. Parabéns pela tua postura equilibrada e responsável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.